Envenenamento experimental induzido pelo veneno de Bothrops jararacussu (Viperidae, Crotalinae): eficácia do tratamento por antiveneno botrópico, botrópico/crotálico e crotálico

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorLaboratório de Fisiopatologiapt_BR
dc.contributor.advisorSano-Martins, Ida Siguekopt_BR
dc.contributor.authorYano, Marcio Yutakapt_BR
dc.date.accessioned2020-12-01T19:25:59Z-
dc.date.available2020-12-01T19:25:59Z-
dc.date.issued2012-
dc.date.submitted2012-
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3339-
dc.description.abstractOs venenos das serpentes Bothrops apresentam atividade proteolítica, coagulante e hemorrágica. O veneno de Bothrops jararacussu (VBju) possui atividade coagulante sobre os fatores II, X e fibrinogênio, e apresenta ainda frações miotóxicas, que agrava as lesões locais. O tratamento mais eficaz para acidentes por serpentes peçonhentas é a soroterapia. Contudo, em envenenamento por B. jararacussu (Bju), tem sido sugerido que a associação do antiveneno botrópico e crotálico (SABC) é mais eficiente do que o antibotrópico (SAB). Nesse sentido, o presente estudo avaliou a eficácia de diferentes antivenenos (SAB, SABC e SAC) na neutralização das atividades desfibrinogenante e miotóxica do VBju em camundongos. Para avaliar a neutralização da ação desfibrinogenante, os animais foram injetados i.v. com 0,50 mg/Kg de VBju ou solução salina (grupo controle) e após 1h tratados i.v. com diferentes antivenenos (SAB, SABC e SAC) ou salina. Amostras de sangue foram coletadas 3 e 6 hs após o tratamento para dosagem de fibrinogênio e análise de tromboelastografia por ROTEM®. Para avaliar a neutralização da atividade miotóxica, os animais foram injetados i.m. com 0,75 mg/Kg de VBju ou salina e após uma hora tratados i.v. com os antivenenos ou salina. O sangue foi coletado 3, 6 e 12 horas após o tratamento para quantificação de creatino fosfoquinase (CK) plasmática. Para avaliar a regeneração muscular, os animais foram tratados depois de 15 minutos e o músculo injetado foi retirado para quantificação de CK residual e análise histológica 24hs, 7, 14 e 30 dias após o tratamento. Os nossos resultados mostram que em 3 hs após o tratamento o fibrinogênio ainda não se encontra em níveis hemostáticos. Contudo, 6 hs após o tratamento verificou-se que o SABC foi mais eficiente na neutralização da atividade desfibrinogenante, o que é evidenciado tanto pela dosagem de fibrinogênio como pela análise por tromboelastografia. Em relação à atividade miotóxica, a liberação de CK teve seu ápice em 3 hs após o tratamento, seguida por um declínio, atingindo níveis basais em 12 hs, porém, não foram observadas diferenças significantes entre os animais tratados com salina ou antiveneno. Os resultados da regeneração muscular demonstram que em 24 hs após o tratamento, o grau de lesão entre os animais envenenados é muito semelhante, não sendo possível detectar diferenças. No 7° dia pós-tratamento os três antivenenos foram significantemente eficientes na neutralização da atividade miotóxica, o que é evidenciado tanto pela quantificação de CK residual como pela análise histológica. Entretanto, existe uma tendência de melhor recuperação nos animais tratados com SABC que os animais tratados com SAB ou SAC (p<0,055). A análise histológica sem morfometria, não mostrou diferenças entre os grupos. No 14° e 30° dia pós-tratamento, os animais apresentaram boa recuperação e não houve diferença entre os animais envenenados e controles. Deste modo, os resultados obtidos nas condições experimentais do presente estudo demonstraram que o SABC é mais eficiente que SAB e SAC em recuperar as alterações da coagulação, porém o mesmo não ocorreu para a ação miotóxica, que requer um estudo complementar.pt_BR
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)pt_BR
dc.description.sponsorshipInstituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Toxinas (INCT-TOX)pt_BR
dc.description.sponsorshipCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.format.extent89 p.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleEnvenenamento experimental induzido pelo veneno de Bothrops jararacussu (Viperidae, Crotalinae): eficácia do tratamento por antiveneno botrópico, botrópico/crotálico e crotálicopt_BR
dc.title.alternativeExperimental envenoming induced by the Bothrops jararacussu venom (Viperidae, Crotalinae): treatment efficiency by Botropic, Botropic/Crotalic and Crotalic antiveninpt_BR
dc.typeMaster's thesispt_BR
dc.subject.keywordBothrops jararacussupt_BR
dc.subject.keywordCrotalupt_BR
dc.subject.keywordenvenenamentopt_BR
dc.subject.keywordsoroterapiapt_BR
dc.subject.keyworddistúrbios da coagulaçãopt_BR
dc.subject.keywordenvenomingpt_BR
dc.subject.keywordserum therapypt_BR
dc.subject.keywordcoagulation disturbancespt_BR
dc.identifier.citationabnt2012. 89 p. Dissertação (Mestrado em Ciências - Toxinologia) - Instituto Butantan, São Paulo, 2012.-
dc.identifier.citationvancouverMaster's thesis. São Paulo: Instituto Butantan; 2012. 89 p.-
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.contributor.butantanSano-Martins, Ida Sigueko|:Pesquisador|:Laboratório de Fisiopatologiapt_BR
dc.contributor.butantanYano, Marcio Yutaka|:Aluno|:Laboratório de Fisiopatologiapt_BR
dc.sponsorship.butantanFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)pt_BR
dc.sponsorship.butantanInstituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Toxinas (INCT-Tox)pt_BR
dc.sponsorship.butantanCoordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)pt_BR
dc.degree.levelMestradopt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências – Toxinologia (PPGTox)pt_BR
dc.description.abstractenSnakes of Bothrops genus are responsible for 90% of the 25 thousand annual cases of snakebites in Brazil. Venoms of Bothrops are characterized by the presence of proteolytic, coagulant and hemorrhagic activities. The venom of Bothrops jararacussu (VBju) has coagulant activity on factors II, X and fibrinogen, and also present myotoxic fractions, responsible by worsening the local damages. The most effective treatment for venomous snakebites is the serum therapy. However, the efficiency of the botropic antivenin (SAB) in treating the B. jararacussu (Bju) envenomation has been questioned by some groups that suggest the association of botropic and crotalic antivenin (SABC). Thus, this study evaluated the efficiency of different antivenins (SAB, SABC e SAC) in neutralize the coagulant and myotoxic activities of the VBju and the muscular regeneration in the mice. To evaluate the neutralization of the coagulant activity, the animals were injected i.v. with 0.50 mg/Kg of de VBju or saline and treated i.v. after 1 h, with different antivenin (SAB, SABC e SAC) or saline. Blood samples were collected 3 and 6hs after the treatment to dose plasmatic fibrinogen and for thromboelastography analysis (TE) by ROTEM®. To evaluate the myotoxic activity, the animals were injected i.m. with 0.75 mg/Kg of VBju or saline, and also treated i.v. after 1 h. Blood samples were collected at 3, 6 and 12 h after treatment to quantify plasmatic creatine phosphokinase (CK). To evaluate the muscle regeneration, the animals were treated with antivenins or saline 15 min after VBu injection. The injected muscle was removed to residual CK and histological analysis. The results show that in 3 h after the treatment, the fibrinogen is not yet in hemostatic levels. Although, at 6 h, the fibrinogen levels and the TE analysis show that the SABC were more effective than SAB and SAC. Regarding the myotoxic activity, the peak of CK releasing was at 3 h after the treatment, which was followed by a decline, reaching basal levels at 12 h; there were not significant differences between the treated or saline animals. Similarly, with regards to the muscle regeneration, at 24 h after the treatment it was not detect differences among the groups studied. On the 7th day after treatment, it was noticed that all the antivenins were significantly efficient to recover muscle tissue, as show residual CK and the histological analysis. There seems to be a trend for better recovery in SABC-treated animals, in comparison with SAB or SAC (p<0,055). However, the histological analysis was not conclusive, since morphometric analysis was not done yet. On 14° and 30° days after treatment, there was not difference among the envenomed and treated animals. In conclusion, the results show that the SABC is more efficient than the SAB and SAC to restore coagulopathy, but this effect was not so evident regarding the myotoxic activity.pt_BR
item.openairetypeMaster's thesis-
item.grantfulltextopen-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Dissertações do PPGTox

Files in This Item:
File Description SizeFormat
146.pdf3.35 MBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.