Habituação ou sensibilização? Efeito comportamental em Cascavel sul-americanas (Crotalus durissus)


Publication type
Academic monograph
Language
Portuguese
Access rights
Restricted access
Abstract
The defensive behavior represents a crucial strategy for snakes, influenced by intrinsic factors that play significant roles in the survival, reproduction, and evolution of species. The present study focused on the rattlesnake (Crotalus durissus), a species exhibiting a wide variety of defensive behaviors. The research aimed to assess the manifestation of habituation or sensitization in the defensive behavior of rattlesnakes, establishing a comparison between adult and young individuals. For this purpose, 44 snakes (22 juveniles and 22 adults) kept in captivity were subjected to encounters with a white-eared opossum plush model in a controlled arena. Data collection extended over a period of 6 days, during which behaviors were recorded. The statistical analysis employed a mixed-effects generalized linear model (GLMM) with Poisson distribution, using R software (version 3.34). The results revealed an increase in aggression in both adult and juvenile groups on the sixth day. Notably, juveniles exhibited higher responsiveness and aggression compared to adults. This study provided clear evidence of ontogenetic differences in the selection of defensive strategies between juveniles and adults. This distinction was influenced by experience, limitations, and inherent needs at each life stage of the snakes. Contrary to expectations based on the literature, both juvenile and adult groups did not exhibit habituation to the presented stimuli, indicating instead a sensitization phenomenon. These findings emphasize the importance of considering ontogenetic variables when analyzing defensive behavior in snakes, particularly in the context of predator-prey interactions. Furthermore, the results have practical implications, especially in regions where the presence of rattlesnakes may pose risks to the community. This study contributes to a deeper understanding of defensive behavior patterns in rattlesnakes, providing valuable insights for management and conservation strategies in controlled environments.
Abstract in Portuguese
O comportamento defensivo representa uma estratégia crucial para as serpentes, sendo influenciado por fatores intrínsecos que desempenham papéis significativos na sobrevivência, reprodução e evolução das espécies. O presente estudo concentrou-se na cascavel (Crotalus durissus), uma espécie que exibe uma ampla variedade de comportamentos defensivos. O objetivo da pesquisa consistiu em avaliar a manifestação de habituação ou sensibilização do comportamento defensivo em cascavéis, estabelecendo uma comparação entre indivíduos adultos e jovens. Para tanto, foram empregadas 44 serpentes (22 filhotes e 22 adultos) mantidas em cativeiro, submetidas a confrontos com um modelo de pelúcia de gambá-de-orelha-branca em uma arena controlada. A coleta de dados estendeu-se por um período de 6 dias, durante os quais foram registrados os comportamentos. A análise estatística adotada foi conduzida por meio de um modelo linear generalizado misto (GLMM) com distribuição de Poisson, utilizando o Software R (versão 3.34). Os resultados revelaram um aumento na agressividade tanto nos grupos de adultos quanto de filhotes no sexto dia. Destacou-se que os filhotes apresentaram maior responsividade e agressividade em comparação com os adultos. Este estudo proporcionou evidências claras de uma diferença ontogenética na escolha de estratégias defensivas entre filhotes e adultos. Tal distinção foi influenciada pela experiência, limitações e necessidades inerentes a cada fase de vida das serpentes. Contrariando as expectativas baseadas na literatura, ambos os grupos, filhotes e adultos, não manifestaram habituação aos estímulos apresentados, indicando, em vez disso, um fenômeno de sensibilização. Esses achados enfatizam a relevância de considerar as variáveis ontogenéticas ao analisar o comportamento defensivo em serpentes, particularmente no contexto das interações presa-predador. Além disso, os resultados possuem implicações práticas, especialmente em regiões onde a presença de cascavéis pode representar riscos para a comunidade. Este estudo contribui para uma compreensão mais aprofundada dos padrões de comportamento defensivo em cascavéis, fornecendo insights valiosos para estratégias de manejo e conservação em ambientes controlados.
Reference
PINDA, Ana Caroline R. Habituação ou sensibilização? efeito comportamental em Cascavel sul-americanas (Crotalus durissus). 2024. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Animais de interesse em saúde: Biologia Animal) – Escola Superior do Instituto Butantan, São Paulo, 2024.
Link to cite this reference
https://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/5340
Issue Date
2024

Show full item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.