Avaliação do papel da Crotoxina administrada via intranasal na modulação da carcinogênese pulmonar quimicamente induzida por uretana


Publication type
Academic monograph
Language
Portuguese
Access rights
Restricted access
Abstract in Portuguese
O câncer de pulmão é uma condição de grande relevância global, sendo o segundo tipo de câncer mais incidente no mundo com 2,2 milhões de novos casos e pode ser influenciado por fatores ambientais como tabagismo ativo ou passivo, agentes carcinogênicos e por fatores genéticos. A relação entre inflamação e tumorigênese estudada há anos: a inflamação inicialmente atua como resposta benéfica a estímulos nocivos, mas desregulações podem levar a anormalidades seguida de patogênese, contribuindo para a progressão neoplásica. Durante a tumorigênese, células inflamatórias, citocinas e quimiocinas criam um ambiente propício para a sobrevivência e proliferação das células tumorais. A Crotoxina (CTX), componente do veneno da cascavel Crotalus durissus terrificus, tem demonstrado atividade antitumoral em estudos in vitro, mostrando ser capaz de inibir o crescimento de células e potencializar a atividade antitumoral de outros agentes. Assim, com objetivo de estudar a ação moduladora da CTX na tumorigênese pulmonar in vivo, utilizamos camundongos fenotipicamente selecionados para reação inflamatória aguda baixa (AIRmin) e que possuem o locus Pas1, principal modulador da susceptibilidade ao tumor pulmonar em camundongos, com haplótipo de suscetibilidade (Pas1s). Induzimos nesses animais adenocarcinoma pulmonar por administração de duas injeções de Uretana por via intraperitoneal, e a Crotoxina, como agente modulador, foi administrada por via intranasal por instilação nas doses de CTX 37,5ug/kg, 75ug/kg e 150ug/kg e por via intraperitoneal na dose de CTX 10 ug/kg. As análises foram feitas a partir do aparecimento das lesões tumorais aos 50 e 90 dias após Uretana. Os resultados mostraram que as três doses (37,5, 75, 150ug/kg) inibiram as lesões pulmonares causadas pela Uretana, destacando a melhor inibição da dose mais elevada. Em comparação entre as vias intranasal e intraperitoneal, a instilação se mostrou ter um efeito mais localizado no pulmão. No entanto, a dose intermediária (75ug/kg) instilada não teve efeito significativo, sugerindo variabilidade genética na resposta à Crotoxina. A mortalidade causada pela a anestesia e o controle impreciso do volume administrado na instilação foram desafios durante os experimentos intranasais. Apesar desses obstáculos, os resultados encorajam a prosseguir o estudo, elaborando novos protocolos para prevenir possíveis mortalidade e assegurar a presença efetiva da Crotoxina nos tecidos pulmonares.
Reference
ROCHA, Darla Basilio da. Avaliação do papel da Crotoxina administrada via intranasal na modulação da carcinogênese pulmonar quimicamente induzida por uretana. 2024. 36p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Biotecnologia para saúde: Vacinas e biofármacos) – Escola Superior do Instituto Butantan, São Paulo, 2024.
Link to cite this reference
https://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/5362
Issue Date
2024


Files in This Item:

Darla Basilio da Rocha - 2024.pdf
Description:
Size: 879.87 kB
Format: Adobe PDF
View/Open
Show full item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.