Efeitos da toxina TsTX-I isolada do veneno do escorpião Tityus serrulatus sobre o hipocampo de ratos

Os venenos escorpiônicos são compostos, entre outras substâncias, por neurotoxinas, polipeptídios básicos de baixo peso molecular que atuam sobre canais iônicos alterando a liberação de mediadores químicos. O veneno do escorpião Tityus serrulatus tem sido extensamente estudado e muitas de suas toxinas já foram bem caracterizadas e sequenciadas. Entre as mais importantes se encontra a TsTX-I, uma toxina que se liga ao sítio 4 do canal de sódio, que já foi bem estudada quanto a seus efeitos periféricos, embora seus efeitos centrais sejam pouco conhecidos. Alguns estudos têm mostrado que as toxinas escorpiônicas são capazes de produzir alterações eletrográficas e comportamentais em ratos por modificar as concentrações cerebrais de neurotransmissores. Além disso, há alterações nos níveis de certos fatores inflamatórios, capazes de promover convulsões em ratos. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo verificar possíveis alterações em mediadores químicos, particularmente os aminoácido neurotransmissores e as citocinas, além de avaliar a integridade das células neuronais, após injeção intrahipocampal da toxina TsTX-I. Para tanto, ratos Wistar machos foram submetidos à cirurgia estereotáxica para implantação de cânulas e/ou eletrodos no hipocampo. Os animais foram submetidos ao registro da atividade elétrica cerebral e observação comportamental após injeção da toxina. A dose de toxina a ser utilizada foi determinada através de uma curva dose-resposta. A coleta dos neurotransmissores foi realizada por microdiálise e suas dosagens foram realizadas em HPLC. Os níveis de citocinas após injeção de toxina, salina ou ácido caínico foram determinados por ensaios imunoenzimáticos. Para a avaliação histológica, os animais foram perfundidos uma semana após a microdiálise, seus cérebros foram removidos, fatiados e analisados em microscópio óptico para quantificação das células nas áreas CA1, CA3 e CA4 do hipocampo. Os resultados mostraram que a TsTX-I não foi capaz de alterar os níveis de aminoácidos neurotransmissores e o número de células integras do hipocampo, embora tenha desencadeado sintomas como “WDS”, prostração, dispneia e alterações eletroencefalográficas. Quanto às citocinas, foi observada uma diminuição nos níveis de IL-1β e IL-10 no cérebro total, embora não haja alteração significante no tecido hipocampal para nenhuma das citocinas analisadas. Com esses resultados podemos concluir que os aminoácidos neurotransmissores não participam dos efeitos desencadeados pela toxina, já que esses não se mostraram alterados no hipocampo. A ausência de lesão neuronal provavelmente se deve a não elevação dos níveis de glutamato, um neurotransmissor que pode ocasionar a morte neuronal por um mecanismo de excitotoxicidade. Também concluímos que as citocinas analisadas tem uma participação nos efeitos desencadeados pela toxina apesar de seu local de ação principal não ser o hipocampo e sim alguma outra região cerebral uma vez que há alteração no tecido cerebral processado sem o hipocampo. É possível que outros neurotransmissores ou citocinas sejam responsáveis pelos efeitos desta toxina e trabalhos futuros poderão confirmar esta hipótese.
Keywords
TsTX-I;  hipocampo;  convulsão;  escorpião;  citocinas;  TsTx-1;  hippocampus;  seizures;  scorpions;  cytokines

Other Titles
Effects of TsTX-I toxin isolated from Tityus serrulatus scorpion venom on the hippocampus of rats
metadata.dc.contributor
metadata.dc.description.sponsorship
Document type
Thesis
Advisor
Nencioni, Ana Leonor Abrahão
Level
Mestrado
Institution
Instituto Butantan
Place
São Paulo
Program
Programa de Pós-Graduação em Ciências – Toxinologia (PPGTOX)
Submission Date
2012
Metrics
Rights
Open Access
URI

Files in This Item:
File Description SizeFormat
129.pdf1.18 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.