Efeito do BjKgn (Bothrops jararaca Kininogen) sobre proteases processadoras de citocinas pró-inflamatórias e sobre atividades biológicas de macrófagos

O plasma da serpente B. jararaca é rico em inibidores de proteases. Dele foi isolado um potente inibidor de cisteíno-protease, o BjKgn. Este possui características similares ao cininogênio de alto peso molecular humano (HK), já que possui uma massa molecular de 110kDa, libera um peptídeo farmacologicamente ativo e além de ser um inibidor de cisteíno-protease. Tanto o BjKgn quanto o HK apresentam atividade inibitória sobre a jararagina (JAR), uma metaloprotease hemorrágica do veneno de serpentes da mesma espécie. A JAR é uma enzima capaz de induzir a liberação de fator de necrose tumoral-alpha (TNF-), citocina relacionada com a atividade dermonecrosante do veneno. Essa citocina é expressa na superfície celular e clivada por uma metaloprotease, a TACE (TNF-converting enzyme), resultando na liberação do TNF- solúvel. Outra citocina importante durante o processo de envenenamento por serpentes Bothrops é a interleucina-1β (IL-1β), que é processada intracelularmente pela ICE (Interleukin converting enzyme), uma cisteíno-protease pertencente à família das caspases. Assim, os objetivos do presente trabalho foram testar o possível efeito inibitório do BjKgn sobre a ICE, TACE, bem como o efeito sobre as funções de células peritoneais aderentes, como espraiamento, fagocitose, produção de peróxido de hidrogênio (H2O2), Óxido Nítrico (NO) e TNF- e IL-1. Para os testes com TACE e ICE, utilizamos substratos fluorescentes respectivos às enzimas e diferentes concentrações de BjKgn. Os testes de espraiamento e fagocitose foram realizados utilizando células peritoneais aderentes estimuladas ou não, e diferentes concentrações de BjKgn (0,5 µg,1µg, 1,5 µg, 2 µg e 3µg). Os testes de produção de H2O2, NO e dosagem de citocinas foram realizados utilizando apenas células estimuladas e 3 µg de BjKgn. As células foram aderidas e incubadas na presença ou não da proteína BjKgn por 1 hora em todos os experimentos em ex vivo, com exceção da dosagem de citocinas, que permaneceu em contato com a proteína por 12 horas. Os resultados demonstraram que o BjKgn, nas doses utilizadas, foi capaz de inibir as enzimas TACE e ICE competitivamente, com constantes de inibição de 2 mM e 370 μM, respectivamente. Em relação às atividades das células do exsudato peritoneal, a proteína não influenciou nenhuma das atividades nas doses de BjKgn utilizadas, uma vez que apresentaram capacidade de espraiamento, fagocitose, produção de H2O2 e NO semelhantes às apresentadas pelas células dos grupos controle. Apesar de inibir as enzimas ICE e TACE, in vitro, o Bjkgn não influenciou na liberação de TNF-α e IL-1β. Podemos concluir que a proteína BjKgn é uma inibidora de cisteíno-proteases e metaloproteases já que inibiu in vitro a TACE e a ICE e que, ao menos nas doses utilizadas, não afeta as funções metabólicas ou biológicas de células peritoneais aderentes e não foi capaz de inibir a liberação do TNF- e IL-1 por estas células.
Keywords
Bothrops;  citocinas;  proteína;  TACE;  ICE;  cytokines;  protein

Other Titles
Effect of BjKgn (Bothrops jararaca Kininogen). on processing proteases of pro-inflammatory cytokines and on biological activities of macrophage
metadata.dc.contributor
Document type
Thesis
Advisor
Gonçalves, Luis Roberto de Camargo
Level
Mestrado
Institution
Instituto Butantan
Place
São Paulo
Program
Programa de Pós-Graduação em Ciências – Toxinologia (PPGTOX)
Submission Date
2013
Metrics
Rights
Open Access
URI

Files in This Item:
File Description SizeFormat
143.pdf1.83 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.