Ensaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo de peptídeos intracelulares com potencial para composição farmacológica

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorCurso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúdept_BR
dc.contributorLaboratório Especial de Toxinologia Aplicada (LETA)pt_BR
dc.contributor.advisorRioli, Vanessapt_BR
dc.contributor.authorOliveira, André Souza dept_BR
dc.date.accessioned2021-05-12T13:58:28Z-
dc.date.available2021-05-12T13:58:28Z-
dc.date.issued2020pt_BR
dc.date.submitted2020-
dc.identifier.citationOLIVEIRA, André Souza de. Ensaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo em peptídeos intracelulares com potencial para composição fármacológica. 2020. 60 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Toxinas de Interesse em Saúde) – Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP; Instituto Butantan, São Paulo, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3716-
dc.description.abstractSeveral proteins that act in the control of the cell cycle are degraded by the ubiquitin proteasome system UPS. Among them, cyclin D2, which is the precursor protein of pep5, an intracellular peptide with potential for the pharmacological composition of antitumor drugs and in combating Chagas disease. Previous studies have characterized pep5 and its minimal sequence with pharmacological action, that is, the smallest portion of the molecule without losing its therapeutic effect. The objective of this work was accomplishing tests to understand the stability profile of this promising molecule and its minimum sequence with six residues (pep5r) with pharmacological action. For this, we employ a method of forced degradation analysis in which we promote stressful situations, such as oxidation, temperature and hydrolysis to determine the degradation times under common conditions during the conditioning and transport of these peptides, in addition to these experiments, we carried out a profile study degradation of peptides in interaction with human blood plasma. The results showed that pep5r is more stable than pep5 among the parameters analyzed, in addition, pep5 was more susceptible to modification by hydrolysis in alkaline media. Both peptides did not undergo thermal modification at 37 ° for 4 hours of incubation, requiring a prolonged study or with higher temperature values to promote degradation. The degradation tests in plasma showed that pep5 is not whole after 15 minutes in interaction with human blood plasma, in contrast, the mass of pep5r was found throughout the analysis period. Therefore, we conclude that although the experiments were carried out with only one sample, the results enabled us to construct initial ideas about some characteristics related to the stability of these peptides, either by environmental actions or degradation in blood plasma. Furthermore, all the initial tests carried out in this work provide guidance for future tests aiming at an eventual pharmacological record of the peptides in question.pt_BR
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)pt_BR
dc.description.sponsorshipFundação Butantanpt_BR
dc.format.extent60 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleEnsaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo de peptídeos intracelulares com potencial para composição farmacológicapt_BR
dc.title.alternativeForced degradation and blood plasma degradation tests on intracellular peptides with potential for drug composition.Forced degradation and blood plasma degradation tests on intracellular peptides with potential for drug compositionpt_BR
dc.typeAcademic monographpt_BR
dc.subject.keywordestabilidadept_BR
dc.subject.keyworddegradação forçadapt_BR
dc.subject.keywordplasma sanguíneopt_BR
dc.subject.keywordpeptídeos e cromatografiapt_BR
dc.subject.keywordstabilitypt_BR
dc.subject.keywordforced degradationpt_BR
dc.subject.keywordblood plasmapt_BR
dc.subject.keywordpeptides and chromatographypt_BR
dc.contributor.butantanOliveira, André Souza de|:Aluno|:Curso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúdept_BR
dc.contributor.butantanRioli, Vanessa|:Pesquisador|:Laboratório Especial de Toxinologia Aplicada (LETA)pt_BR
dc.sponsorship.butantanFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)¦¦2013/07467-1pt_BR
dc.sponsorship.butantanFundação Butantan¦¦pt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.identifier.bvsdbEspecializacaoSESpt_BR
dc.degree.levelEspecializaçãopt_BR
dc.degree.grantorSecretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP Dr. Antônio Guilherme de Souzapt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programEspecialização na Área da Saúdept_BR
dc.description.abstractptDiversas proteínas que atuam no controle do ciclo celular são degradadas pelo sistema ubiquitina proteossoma (UPS). Dentre elas, a ciclina D2, que é a proteína precursora do pep5, um peptídeo intracelular com potencial para composição farmacológica de medicamentos antitumorais e no combate à doença de chagas. Estudos anteriores caracterizaram o pep5 e sua mínima sequência com ação farmacológica, ou seja, a menor porção da molécula sem que ela perca seu efeito terapêutico. O objetivo deste trabalho foi realizar ensaios para compreender o perfil de estabilidade dessa promissora molécula e de sua mínima sequência com seis resíduos (pep5r) com ação farmacológica. Para isso, empregamos um método de análise de degradação forçada em que promovemos situações de estresse, como oxidação, temperatura e hidrólise para determinar os tempos de degradação em condições comuns durante o acondicionamento e transporte desses peptídeos, além desses experimentos, realizamos um estudo do perfil degradação dos peptídeos em interação com o plasma sanguíneo humano. Os resultados mostraram que o pep5r é mais estável que o pep5 dentre os parâmetros analisados, além disso, o pep5 mostrou-se mais suscetível a modificações por hidrólise em meios alcalinos. Ambos os peptídeos não sofreram modificações térmica a 37° durante 4 horas de incubação, sendo, necessário um estudo prolongado ou com valores de temperatura maiores para promover a degradação. Os ensaios de degradação em plasma sanguíneo humano mostraram que o pep5 não se encontra integro após 15 minutos, em contrapartida, a massa do pep5r foi encontrada durante todo o período de análise. Portanto, concluímos que apesar dos experimentos terem sido realizados com apenas uma amostragem, os resultados nos possibilitaram a construção de ideias iniciais sobre algumas características relacionadas à estabilidade desses peptídeos, seja por ações do ambiente ou degradação em plasma sanguíneo. Além disso, todos os ensaios iniciais realizados nesse trabalho possibilitam um direcionamento para realização de ensaios futuros visando um eventual registro farmacológico dos peptídeos em questão.pt_BR
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1Portuguese-
item.openairetypeAcademic monograph-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Curso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúde


Files in This Item:

TCC_André Souza de Oliveira.pdf
Description:
Size: 3 MB
Format: Adobe PDF
View/Open
Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.