Descrição do comportamento reprodutivo de Bothrops pauloensis (Serpentes, Viperidae) em cativeiro

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorCurso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributorLaboratório de Herpetologiapt_BR
dc.contributor.advisorSant'Anna, Sávio Stefaninipt_BR
dc.contributor.authorSilva, Karina Ribeiro Pinto dapt_BR
dc.date.accessioned2021-05-17T14:44:59Z-
dc.date.available2021-05-17T14:44:59Z-
dc.date.issued2020pt_BR
dc.date.submitted2020-
dc.identifier.citationSilva, Karina, R, P. Descrição do comportamento reprodutivo de Bothrops pauloensis (Serpentes, Viperidae) em cativeiro. 2020. 36 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização de Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animal) – Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP; Instituto Butantan, São Paulo, 2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3736-
dc.description.abstractSnakes is carried out through random field records, studies of specimens from scientific collections and data generated in captivity. The maintenance of venomous snakes in captivity at the Butantan Institute is important due to the production of immunobiologicals and toxinology research at the Institute or at other research centers. The black faced lancehead (Bothrops pauloensis) is an endemic viper of the Brazilian cerrado, present in seasonally dry open savannas. This study aimed to describe the behavior of courtship and copulation of B. pauloensis in captivity. During the months of June to August in 2019, seven copulation attempts were made, in which the behaviors of couples of trios of animals (one female and two males) were recorded in a breeding arena (115x65x60 cm). The female was placed in the arena 30 minutes after the presence of the males. The next day, the animals were separated, from the arena and then the female to perform the vaginal secretion collection (exfoliative cytology) (an examination where material is collected from the female's vagina, smearing and staining the slides and as well as the elaboration of photomicrographs to check for the presence of sperm. Three females obtained positive swabs with sperm on the slides. During the court, one of the males became interested in the female to do the reconnaissance and stimulate the copulation, the other male eventually moved away and hid under the cardboard in the arena. During the court, "head-rise", "mount" and "tail quiver" movements were observed. These mating behaviors are typical and have been described in other neotropical viperids, such as B. erythromelas. In short, B. pauloensis exhibited ritualistic behavior at the time of reproduction similar to that described for other Bothrops. The best period for copulation was during the month of July, during which the females were more receptive.pt_BR
dc.format.extent36 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleDescrição do comportamento reprodutivo de Bothrops pauloensis (Serpentes, Viperidae) em cativeiropt_BR
dc.title.alternativeDescription of the reproductive behavior of Bothrops pauloensis (Serpentes, Viperidae) in captivitypt_BR
dc.typeAcademic monographpt_BR
dc.subject.keywordHerpetologiapt_BR
dc.subject.keywordComportamento reprodutivopt_BR
dc.subject.keywordJararaca-Pintadapt_BR
dc.subject.keywordBothrops pauloensispt_BR
dc.subject.keywordInstituto Butantanpt_BR
dc.subject.keywordHerpetologypt_BR
dc.subject.keywordReproductive behaviorpt_BR
dc.subject.keywordBothrops pauloensispt_BR
dc.subject.keywordButantan Institutept_BR
dc.contributor.butantanSilva, Karina Ribeiro Pinto da|:Aluno|:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributor.butantanSant'anna, Sávio Stefanini|:Pesquisador|:Laboratório de Herpetologiapt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.identifier.bvsdbEspecializacaoSESpt_BR
dc.degree.levelEspecializaçãopt_BR
dc.degree.grantorSecretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP Dr. Antônio Guilherme de Souzapt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programEspecialização na Área da Saúdept_BR
dc.description.abstractptO estudo da biologia reprodutiva de serpentes é realizado através de registros fortuitos em campo, estudos de espécimes de coleções científicas e de dados gerados em cativeiro. A manutenção de serpentes peçonhentas em cativeiro do Instituto Butantan é importante devido à produção de imunobiológicos e de pesquisas em toxinologia no Instituto ou em outros centros de pesquisa. A jararaca- pintada (Bothrops pauloensis) é um viperídeo endêmico do cerrado brasileiro, presente em savanas abertas sazonalmente secas. Este estudo teve como objetivo descrever o comportamento de corte e cópula de Bothrops pauloensis em cativeiro. Durante os meses de junho a agosto de 2019, foram realizadas sete tentativas de cópula, nas quais os comportamentos dos casais de trios de animais (uma fêmea e dois machos) foram registrados em uma arena de reprodução (115x65x60 cm). A fêmea foi colocada na arena 30 minutos após a presença dos machos. No dia seguinte, os machos eram retirados da arena e depois a fêmea para a realização da coleta da secreção vaginal (citologia esfoliativa) (um exame onde se colhe material da vagina da fêmea, fazendo um esfregaço e coloração das lâminas e assim como elaboração das fotomicrografias para verificação da presença de espermatozoides. Três fêmeas obtiveram exames positivos apresentando espermatozoides. Durante a corte um dos machos se interessou pela fêmea para fazer o reconhecimento e estimular para a cópula, o outro macho eventualmente afastou-se e escondeu-se de baixo do papelão na arena. Durante a corte, foram observados movimentos de "subida da cabeça", "montagem" e "tremor de cauda". Esses comportamentos de acasalamento são típicos e já foram descritos em outros viperídeos neotropicais, como B. erythromelas. Em suma, B. pauloensis exibiu comportamento ritualístico na época de reprodução semelhante ao descrito para outras Bothrops. O melhor período para cópula foi durante o mês de julho, período que as fêmeas se apresentaram mais receptivas.pt_BR
item.grantfulltextnone-
item.languageiso639-1Portuguese-
item.openairetypeAcademic monograph-
item.fulltextSem Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animal

Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.