Análise da variação sexual e ontogenética de venenos da espécie Bothrops alternatus Duméril, Bibron & Duméril, 1854. (Serpentes, Viperidae)

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorCurso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúdept_BR
dc.contributorLaboratório de Herpetologiapt_BR
dc.contributor.advisorRocha, Marisa Maria Teixeira dapt_BR
dc.contributor.authorVilarinho, Ariel Rodrigues Gomespt_BR
dc.date.accessioned2021-05-28T11:57:32Z-
dc.date.available2021-05-28T11:57:32Z-
dc.date.issued2019pt_BR
dc.date.submitted2019-
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3770-
dc.description.abstractSnakes are complex mixtures whose main functions are the stoppage and the killing of prey as well as the initial promotion of digestion and their actions may vary according to the age, geographical distribution and individual character of each snake. The venom of Bothrops alternatus, as well as most of the botrópico venoms, has as main actions, proteolytic, coagulant and hemorrhagic activities. The objective of this study was to evaluate the possible variations of venoms of male and female snakes of the Bothrops alternatus species throughout the development, through biochemical characterization (protein dosage, SDS-PAGE electrophoresis, gelatinolytic activity, caseinolytic activity and coagulant activity) and biological characterization (hemorrhagic and myotoxic activity). As a result, protein content of male and female venoms did not show ontogenetic or sexual variation, with 90 to 100% protein content. The electrophoretic profiles of the venoms were similar, but a protein with an approximate molecular weight of 17.0 kDa varied between the sexes and as the snakes developed. By means of the SDS-PAGE zimography and caseinolytic activity, it was possible to observe that the proteolytic action of the female venoms was not very active, with action only in the third and fourth year, whereas the male venoms showed activity only in the first year of life. The B. alternatus venoms had the ability to coagulate citrated equine plasma in 60 seconds and venoms of both sexes were more coagulant in the first year of life, suffering a decline in action throughout development. In the hemorrhagic activity the venom samples presented sexual variation, and the ontogenetic variation was only observed in the venoms of males, where they were more active in the fourth year of age. The myotoxic activity of B. alternatus venoms showed that there is sexual variation, whereas ontogenetic variation was only identified in the venom of males, with oscillations of the specific activity values for the CK enzyme. By means of the joint analysis of the data generated, we conclude that there is sexual and ontogenetic variation in venoms of the species B. alternatus and that several factors can influence in the triggering of their actions and activities, since environmental and genetic factors are the key to the maintenance species in the habitat in which they live.pt_BR
dc.format.extent31 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleAnálise da variação sexual e ontogenética de venenos da espécie Bothrops alternatus Duméril, Bibron & Duméril, 1854. (Serpentes, Viperidae)pt_BR
dc.typeAcademic monographpt_BR
dc.subject.keywordBothrops alternatuspt_BR
dc.subject.keywordVenenospt_BR
dc.subject.keywordVariação ontogenéticapt_BR
dc.subject.keywordVariação sexualpt_BR
dc.subject.keywordBothrops alternatuspt_BR
dc.subject.keywordVenomspt_BR
dc.subject.keywordOntogenetic variationpt_BR
dc.subject.keywordSexual variationpt_BR
dc.contributor.butantanVilarinho, Ariel Rodrigues Gomes|:Aluno|:Curso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúdept_BR
dc.contributor.butantanRocha, Marisa Maria Teixeira da|:Técnico|:Laboratório de Herpetologiapt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.identifier.bvsdbEspecializacaoSESpt_BR
dc.degree.levelEspecializaçãopt_BR
dc.degree.grantorSecretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP Dr. Antônio Guilherme de Souzapt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programEspecialização na Área da Saúdept_BR
dc.description.abstractptOs venenos ofídicos são misturas complexas e tem como funções principais a paralisação e o abate da presa, bem como a promoção inicial da digestão e suas ações podem variar de acordo com a idade, a distribuição geográfica e o caráter individual de cada serpente. O veneno de Bothrops alternatus, assim como a maioria dos venenos botrópicos, tem como principais ações, as atividades proteolítica, coagulante e hemorrágica. O objetivo desse estudo foi avaliar as possíveis variações dos venenos de serpentes machos e fêmeas da espécie Bothrops alternatus ao longo do desenvolvimento, através de caracterização bioquímica (dosagem de proteínas, eletroforese em SDS-PAGE, atividade gelatinolítica, atividade caseinolítica e atividade coagulante) e caracterização biológica (atividade hemorrágica e miotóxica). Como resulados, teor proteico dos venenos de machos e fêmeas não apresentou variação ontogenética ou sexual, com teor entre 90 e 100% de proteína. Os perfis eletroforéticos dos venenos foram semelhantes, porém uma proteína com peso molecular aproximado de 17.0 kDa variou entre os sexos e conforme o desenvolvimento das serpentes. Por meio das técnicas de zimografia em SDS-PAGE e atividade caseinolítica foi possível observar que a ação proteolítica dos venenos de fêmeas apresentou-se pouco ativo, com ação somente no terceiro e quarto ano, enquanto que os venenos de machos mostraram atividade somente no primeiro ano de vida. Os venenos de B. alternatus tiveram a capacidade de coagular o plasma equino citratado em 60 segundos e os venenos de ambos os sexos foram mais coagulantes no primeiro ano de vida, sofrendo um declínio na ação ao longo do desenvolvimento. Na atividade hemorrágica as amostras de venenos apresentaram variação sexual, sendo a variação ontogenética só observada nos venenos de machos, onde foram mais ativos no quarto ano de idade. A atividade miotóxica dos venenos de B. alternatus mostrou que existe variação sexual, enquanto que a variação ontogenética só foi identificada nos venenos de machos, apresentando oscilações dos valores da atividade específica para a enzima CK. Por meio da análise conjunta dos dados gerados, concluímos que existe variação sexual e ontogenética em venenos da espécie B. alternatus e que diversos fatores podem influenciar no desencadear de suas ações e atividades, visto que, fatores ambientais e genéticos são a chave para a manutenção das espécies no habitat em que vivem.pt_BR
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1Portuguese-
item.openairetypeAcademic monograph-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Curso de Especialização em Toxinas de Interesse em Saúde


Files in This Item:

TCC_Ariel.pdf
Size: 908.55 kB
Format: Adobe PDF
View/Open
Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.