Avaliação da transferência passiva de imunoglobulinas específicas do gênero Bothrops de éguas hiperimunizadas para o neonato

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorCurso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributorBiotério Centralpt_BR
dc.contributor.advisorMattaraia, Vânia Gomes de Mourapt_BR
dc.contributor.authorLima, Laís Maria dept_BR
dc.date.accessioned2021-05-28T11:57:33Z-
dc.date.available2021-05-28T11:57:33Z-
dc.date.issued2019pt_BR
dc.date.submitted2019-
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3777-
dc.description.abstractThe placenta epiteliocorial mare, prevents the passage of macromolecules such as IgG's immunoglobulins to the fetus, causing the newborn come to highly susceptible to exogenous microorganisms world, depending exclusively colostrum, rich in mother immunoglobulins, which will give you protection passively during the first hours of life. This work aimed to evaluate the transfer of specific immunoglobulins Bothrops of hipperimmunized mares during the sixth month of pregnancy to the newborn, using the ELISA test (enzyme-linked immuno sorbent) by checking the correlation of specific immunoglobulin concentration maternal serum for the newborn. Five mares and five neonates were used for this purpose. The first blood sample was collected from the mares seven days before they gave birth. The deliveries were followed and samples of newborns followed the following times: T0 before ingestion of colostrum, T1 after 24 hours of colostrum intake, T2 48 hours after ingestion of colostrum and T3 30 days after birth. They were processed by the Hyperimmune Plasma Processing Section- Instituto Butantan. It was observed that three mares obtained the transfer of specific immunoglobulins for newborn, keeping the constant level of immunoglobulins in 12h, 48h and 30 days after birth. A mare did not obtain the necessary value to be considered hyperimmunized, so there was no transfer to the neonate. And another mare obtained a titration considered for hyperimmunization however, its neonate had no specific immunoglobulin value found in the serum at all times.pt_BR
dc.format.extent24 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleAvaliação da transferência passiva de imunoglobulinas específicas do gênero Bothrops de éguas hiperimunizadas para o neonatopt_BR
dc.typeAcademic monographpt_BR
dc.subject.keywordimunidade passivapt_BR
dc.subject.keywordimunoglobulinaspt_BR
dc.subject.keywordneonatopt_BR
dc.subject.keywordpassive immunitypt_BR
dc.subject.keywordimmunoglobulinspt_BR
dc.subject.keywordneonatept_BR
dc.contributor.butantanLima, Laís Maria de|:Aluno|:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributor.butantanMattaraia, Vânia Gomes de Moura|:Pesquisador|:Biotério Centralpt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.identifier.bvsdbEspecializacaoSESpt_BR
dc.degree.levelEspecializaçãopt_BR
dc.degree.grantorSecretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP Dr. Antônio Guilherme de Souzapt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programEspecialização na Área da Saúdept_BR
dc.description.abstractptA placenta da égua epiteliocorial, impede a passagem de macromoléculas como as imunoglobulinas IgG’s para o feto, fazendo com que o recém-nascido venha ao mundo extremamente susceptível aos microrganismos exógenos, dependendo exclusivamente do colostro, rico em imunoglobulinas da mãe, que lhe dará proteção passivamente durante as primeiras horas de vida. Esse trabalho objetivou a avaliação da transferência de imunoglobulinas especificas do gênero Bothrops de éguas hiperimunizadas durante o sexto mês de gestação para o neonato, mediante a utilização do teste de ELISA (enzyme-linked immuno sorbent), verificando a correlação da concentração de imunoglobulina específica do soro materno para o neonato. Para isso foram utilizadas cinco éguas e cinco neonatos. A primeira amostra de sangue foi coletada das éguas sete dias antes de parirem. Os partos foram acompanhados e as amostras dos neonatos seguiram os seguintes tempos: T0 antes da ingestão do colostro, T1 após 24 horas da ingestão do colostro, T2 48 horas após a ingestão do colostro e T3 30 dias após o nascimento. Foram processadas pela Seção de Processamento de Plasma Hiperimune-Instituto Butantan. Observou-se que três éguas obtiveram a transferência de imunoglobulinas específicas para o neonato, mantendo o nível de imunoglobulinas constante em 12h, 48h e 30 dias após nascimento. Uma égua não obteve o valor necessário para ser considerada hiperimunizada, por isso não houve transferência para o neonato. E outra égua obteve uma titulação considerada para a hiperimunização porém, o seu neonato não teve valor de imunoglobulinas específicas encontradas no soro em todos os momentos.pt_BR
item.grantfulltextembargo_29990101-
item.languageiso639-1Portuguese-
item.openairetypeAcademic monograph-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animal


Files in This Item:

Existing users please Login
TCC_Lais Maria.pdf
Size: 382.99 kB
Format: Adobe PDF
Embargoed until January 1, 2999    Request a copy
Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.