Filhotes de escorpião T. serrulatus: nascimento e desenvolvimento em cativeiro

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorCurso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributorSeção de Processamento de Plasmas Hiperimunespt_BR
dc.contributor.advisorAuada, Aline Vivian Vattipt_BR
dc.contributor.authorSantos, Felipe Henrique Alves dospt_BR
dc.date.accessioned2021-05-28T11:57:37Z-
dc.date.available2021-05-28T11:57:37Z-
dc.date.issued2019pt_BR
dc.date.submitted2019-
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3791-
dc.description.abstractMost scorpions are ovoviviparous, ending their full development on the back of their mother. The development juvenile yellow scorpion Tityus serrulatus Lutz & Melo, 1922 was analyzed under captivity conditions during five months in the Butantan Institute Arthropod vivarium to better understand its growth. In the course of the experiment, 164 females were given, which granted 1,857 newborns, showing how this species of scorpion can multiply easily under laboratory conditions. Females were screened based on their enclosure identification and the number of extractions suffered, showing that they were not affected by extractions in relation to reproduction. The time stipulated for juvenile dispersal was up to 15 days. It can be noticed that the group that did not undergo any extraction, the newborn spontaneously dispersed something that did not happen to the other groups with one or more extraction, having an average of 4.95% of forced dispersion. We also noticed that during the work performed, the weight increased three times more than the initial weight of the puppies, and the growth was 1.5mm. For its better development was verified that the feeding three times in the week has a notorious relevance.pt_BR
dc.format.extent27 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsOpen Accesspt_BR
dc.titleFilhotes de escorpião T. serrulatus: nascimento e desenvolvimento em cativeiropt_BR
dc.typeAcademic monographpt_BR
dc.subject.keywordEscorpiõespt_BR
dc.subject.keywordfilhotespt_BR
dc.subject.keywordreproduçãopt_BR
dc.subject.keyworddesenvolvimentopt_BR
dc.subject.keywordbiotériopt_BR
dc.subject.keywordScorpionspt_BR
dc.subject.keywordpuppiespt_BR
dc.subject.keywordreproductionpt_BR
dc.subject.keyworddevelopmentpt_BR
dc.subject.keywordbioterrorismpt_BR
dc.contributor.butantanSantos, Felipe Henrique Alves dos|:Aluno|:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animalpt_BR
dc.contributor.butantanAuada, Aline Vivian Vatti|:Técnico|:Seção de Processamento de Plasmas Hiperimunespt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.identifier.bvsdbEspecializacaoSESpt_BR
dc.degree.levelEspecializaçãopt_BR
dc.degree.grantorSecretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP Dr. Antônio Guilherme de Souzapt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programEspecialização na Área da Saúdept_BR
dc.description.abstractptA maioria dos escorpiões é ovovivípara, terminando seu desenvolvimento completo no dorso de sua mãe. Foi analisado o desenvolvimento dos filhotes de escorpião amarelo Tityus serrulatus Lutz & Melo, 1922 em cativeiro durante cinco meses no Biotério de Artrópodes do Instituto Butantan para compreender melhor seu crescimento. No decorrer do experimento foram retiradas 164 fêmeas que concederam 1.857 filhotes, mostrando como essa espécie de escorpião pode se multiplicar facilmente, em condições de laboratório. As fêmeas foram rastreadas através do seu viveiro e a quantidade de extrações sofridas, mostrando que as mesmas não foram afetadas pelas extrações em relação reprodução. O tempo estipulado para a dispersão dos juvenis foi de até 15 dias. Pode-se notar que o grupo que não sofreu qualquer extração, os recém-nascidos dispersaram espontaneamente coisa que não aconteceu para os outros grupos extraídos, tendo uma média de 4,95% para dispersão forçada. Conseguimos notar também que durante o trabalho realizado, o peso cresceu três vezes mais em relação ao peso inicial dos filhotes, e o crescimento foi de 1,5mm. Para o seu melhor desenvolvimento foi constatado que a alimentação três vezes na semana possui uma relevância notória.pt_BR
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1Portuguese-
item.openairetypeAcademic monograph-
item.fulltextCom Texto completo-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Curso de Especialização em Animais de Interesse em Saúde: Biologia Animal


Files in This Item:

TCC_Felipe Santos.pdf
Size: 713.57 kB
Format: Adobe PDF
View/Open
Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.