Desenvolvimento de metodologia para quantificação de vírus Influenza por RT-qPCR

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributorPrograma de Pós-Graduação em Ciências – Toxinologia (PPGTox)pt_BR
dc.contributor(LV) Lab. Virologiapt_BR
dc.contributor.advisorBotosso, Viviane Fongaropt_BR
dc.contributor.authorMoraes, Felipe Catanzaropt_BR
dc.date.accessioned2023-12-19T12:11:11Z-
dc.date.available2023-12-19T12:11:11Z-
dc.date.issued2022pt_BR
dc.date.submitted2022-12-22-
dc.identifier.urihttps://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/5211-
dc.description.abstractInfluenza A viruses A H1N1, A H3N2 and type B (Victoria lineage), are part of the current trivalent Influenza vaccine composition produced by the Instituto Butantan. The WHO recommendation is based on data about viruses circulation around the globe. Due to this constant change of strains, the production time, from the announcement of the strains to be used until the start of the annual campaign, is just over 7 months. Therefore, the quest for vaccine producers to streamline any and all procedures, without compromising quality, is constant. In this context, obtaining a good dose/egg yield is a crucial point, being directly proportional to the success of the strain replication and, therefore, to the production yield. Vaccine production begins with master seed lots and working seed lots production, subsequently used for bulk batches production. The precise, accurate and quicly quantification can improve yield. In this study, the standardization of an RT-qPCR methodology for the quantification of viral nucleic acid copies number was performed following a statistical correlation between virus data determined by EID50/mL. To achieve the objectives, a standard curve of synthetic DNA was prepared for each Influenza virus (A H1N1, A H3N2 and B (Victoria)), which allowed the quantification of copies number by the standardized methodology. The methodologies were applied to the viral strains and validated by the parameters of linearity, limits of detection and quantification, precision and specificity, reaching the acceptance criteria. A good correlation was established between the number of copies and EDI50/mL, with r of ~0.99 for each of the 3 standardized methods, demonstrating the possibility of using the methodologies in the steps that need the most exact quantification of viruses, generating data for viral replication monitoring and optimizing production processespt_BR
dc.format.extent106 p.pt_BR
dc.language.isoPortuguesept_BR
dc.rightsRestricted accesspt_BR
dc.titleDesenvolvimento de metodologia para quantificação de vírus Influenza por RT-qPCRpt_BR
dc.typeMaster thesispt_BR
dc.subject.keywordInfluenzapt_BR
dc.subject.keywordRT-qPCRpt_BR
dc.subject.keywordpadronizaçãopt_BR
dc.subject.keywordcorrelaçãopt_BR
dc.subject.keywordEID50/mLpt_BR
dc.subject.keywordstandardizationpt_BR
dc.subject.keywordcorrelationpt_BR
dc.contributor.butantanMoraes, Felipe Catanzaro|:Aluno|:Programa de Pós-Graduação em Ciências – Toxinologia (PPGTox)pt_BR
dc.identifier.bvsccBR78.1pt_BR
dc.identifier.bvsdbIBProdpt_BR
dc.degree.levelMestradopt_BR
dc.degree.grantorInstituto Butantanpt_BR
dc.degree.localSão Paulopt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Ciências – PPGToxpt_BR
dc.description.abstractptOs vírus Influenza A H1N1, H3N2 e tipo B (Victoria) fazem parte da composição atual da vacina trivalente produzida pelo Instituto Butantan e ela é produzida com os vírus recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa recomendação é realizada anualmente baseada em dados obtidos pelo monitoramento de sua circulação ao redor do planeta. Por conta desta mudança constante de cepas, o tempo de produção, desde o anúncio das cepas a serem utilizadas até o início da campanha anual, é de pouco mais de 7 meses. Portanto, a busca pelos produtores de vacinas para agilizar todo e qualquer procedimento, sem comprometimento da qualidade, é uma constante. Dentro desse contexto, a obtenção de um bom rendimento dose/ovo é um ponto crucial, sendo diretamente proporcional ao sucesso da replicação das cepas e, portanto, ao rendimento da produção. A produção da vacina tem início com a produção de bancos de vírus semente e bancos de vírus trabalho que são utilizados, posteriormente para a produção de todos os lotes de monovalentes, e sua quantificação de maneira precisa, exata e rápida pode auxiliar na melhoria do rendimento. Neste estudo foi realizada a padronização de uma metodologia de RT-qPCR para a quantificação do número de cópias de ácido nucleico viral visando uma correlação estatística com os dados de vírus determinado por EID50/mL. Para atingir os objetivos, inicialmente foi preparada uma curva padrão de DNA sintético para cada um dos vírus Influenza (A H1N1, A H3N2 e B (Victoria)) que permitiu a quantificação exata do número de cópias pela metodologia padronizada. A seguir, as metodologias foram aplicadas às cepas virais e validadas pelos parâmetros de linearidade, limites de detecção e quantificação, precisão e especificidade, sendo atingidos os critérios de aceitação. Foi estabelecida uma boa correlação entre o número de cópias e EID50/mL, com r de ~0,99 para cada um dos 3 métodos padronizados, demonstrando a possibilidade de utilização das metodologias nas etapas que necessitem a quantificação mais exata de vírus, gerando dados para o acompanhamento da replicação viral e otimização dos processos de produção.pt_BR
dc.description.internalVerificar com o autor se o trabalho pode ser publicado.pt_BR
item.languageiso639-1Portuguese-
item.fulltextSem Texto completo-
item.grantfulltextnone-
item.openairetypeMaster thesis-
crisitem.author.dept#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
crisitem.author.orcid#PLACEHOLDER_PARENT_METADATA_VALUE#-
Appears in Collections:Dissertações

Show simple item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.