Ensaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo de peptídeos intracelulares com potencial para composição farmacológicaEnsaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo de peptídeos intracelulares com potencial para composição farmacológica

Translated title
Forced degradation and blood plasma degradation tests of intracellular peptides with potential for pharmacological compositionForced degradation tests and blood plasma degradation of intracellular peptides with potential for pharmacological composition

Publication type
Academic monograph
Language
Portuguese
Access rights
Open Access
metadata.dc.description.abstractpt
Diversas proteínas que atuam no controle do ciclo celular são degradadas pelo sistema ubiquitina proteossoma (UPS). Dentre elas, a ciclina D2, que é a proteína precursora do pep5, um peptídeo intracelular com potencial para composição farmacológica de medicamentos antitumorais e no combate à doença de chagas. Estudos anteriores caracterizaram o pep5 e sua mínima sequência com ação farmacológica, ou seja, a menor porção da molécula sem que ela perca seu efeito terapêutico. O objetivo deste trabalho foi realizar ensaios para compreender o perfil de estabilidade dessa promissora molécula e de sua mínima sequência com seis resíduos (pep5r) com ação farmacológica. Para isso, empregamos um método de análise de degradação forçada em que promovemos situações de estresse, como oxidação, temperatura e hidrólise para determinar os tempos de degradação em condições comuns durante o acondicionamento e transporte desses peptídeos, além desses experimentos, realizamos um estudo do perfil degradação dos peptídeos em interação com o plasma sanguíneo humano. Os resultados mostraram que o pep5r é mais estável que o pep5 dentre os parâmetros analisados, além disso, o pep5 mostrou-se mais suscetível a modificações por hidrólise em meios alcalinos. Ambos os peptídeos não sofreram modificações térmica a 37° durante 4 horas de incubação, sendo, necessário um estudo prolongado ou com valores de temperatura maiores para promover a degradação. Os ensaios de degradação em plasma sanguíneo humano mostraram que o pep5 não se encontra integro após 15 minutos, em contrapartida, a massa do pep5r foi encontrada durante todo o período de análise. Portanto, concluímos que apesar dos experimentos terem sido realizados com apenas uma amostragem, os resultados nos possibilitaram a construção de ideias iniciais sobre algumas características relacionadas à estabilidade desses peptídeos, seja por ações do ambiente ou degradação em plasma sanguíneo. Além disso, todos os ensaios iniciais realizados nesse trabalho possibilitam um direcionamento para realização de ensaios futuros visando um eventual registro farmacológico dos peptídeos em questão.
Reference
OLIVEIRA, André Souza de. Ensaios de degradação forçada e degradação em plasma sanguíneo em peptídeos intracelulares com potencial para composição fármacológica. 2020. 60 p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Toxinas de Interesse em Saúde) – Centro de Formação de Recursos Humanos para o SUS/SP; Instituto Butantan, São Paulo, 2020.
Link to cite this reference
https://repositorio.butantan.gov.br/handle/butantan/3716
Issue Date
2020


Files in This Item:

TCC_André Souza de Oliveira.pdf
Description:
Size: 3 MB
Format: Adobe PDF
View/Open
Show full item record

The access to the publications deposited in this repository respects the licenses from journals and publishers.